Seguidores

sexta-feira, 18 de março de 2011

CHÁS PARA GESTANTES O QUE PODE E O QUE NÃO PODE?

chás medicinais e abortivos ! o que pode e não pode?
Os efeitos dos chás durante a gravidez e a verdade sobre o chá abortivo.
Por trás do uso de chás durante a gravidez, existem duas questões: a preocupação a respeito dos seus efeitos sobre o bebê; e também a questão levantada pela crendice popular sobre o chá abortivo.
Existe uma concepção sobre o uso de chás para provocar o aborto, especificamente o chá de carqueja. Esta concepção não encontra nenhuma evidência científica, e nenhuma droga é derivada desta planta para fins abortivos, mesmo em situações médicas e terapêuticas.
Na verdade, o uso abusivo de chás, que por sua vez contém substâncias, tais como a cafeína, que podem atravessar a placenta, pode provocar efeitos negativos tanto na mãe, quanto no bebê, mas raramente provocam o aborto. Por isto, são um risco para a gestante.
O seu uso para estas finalidades tem grandes chances de provocar sintomas graves de intoxicação, podendo até mesmo levar a morte da mãe.
Quanto ao uso de chás rotineiros durante a gestação, é importante observar quais chás possuem efeitos benéficos e quais podem prejudicar a mãe e o bebê.
De acordo com nutricionistas, a gestante deve optar pelos chás claros, mas não deve tomá-los todos os dias, sendo que a melhor opção de chá para a gestante é o de erva doce e erva cidreira porque tem efeito calmante.
Chás que podem ser utilizados na gravidez:
Chá de erva doce;
Chá de erva cidreira;
Chá de alfazema.
Chás que não devem ser utilizados na gravidez:
Chá mate;
Chá de cravo-da-índia;
Chá de canela;
Chá preto;
Chá branco;
Chá verde.

Porque é que se fala tanto no chá preto? .
Porque o chá preto tem muito mais cafeína ,Por esse mesmo motivo, o excessivo consumo de chá, faz com que a cafeína e outras substancias possam atravessar a placenta, podendo provocar efeitos negativos tanto na mãe, como no bebé, mas raramente provocam o aborto.
Outros problemas do consumo elevado de chá (e mais uma vez como do café), causam um aumento tensão arterial, dos níveis de catecolaminas, da actividade de renina plasmática, dos níveis de ácidos livres, da produção de urina e da secreção gástrica.
Uma coisa engraçada é dizerem que não se pode beber chá preto, mas chá branco, verde ou vermelho já se podem.
Falso! Estes chás (todos coloridos) são meramente chá preto, tem nomes diferentes por causa do seu método de secagem e de tratamentos finais.
Quanto aos chás de sabores tais como, sabor a amoras, frutos silvestres, morangos, ananás, maça canela, tutti frutei, mirtilho, caramelo, limão, menta, entre outras que se vê muito nos supermercados, também ficam na minha pasta de não recomendáveis, pois estes chás de sabores são meramente chá preto com corantes de modo a dar o sabor.
A gestante não deve tomar jamais chá de cravo-da-índia e chá de canela, para não causar danos seriíssimos ao feto, sobretudo o chá de canela ou com qualquer outra erva forte.
Provoca, aborto, mal formação distúrbios, neurológicos, coordenação motora.
No fim disto tudo, fãs de chás acho que não devem abusar. E devem encurtar a vossa lista de chás .
Para os típicos chás de árvores e ervas como lúcia-lima, camomila e cidreira.
As ervas são poderosíssimas, mas devem ser tomadas com precaução e por períodos curtos, sobretudo na gravidez. A gestante pode tomar somente chás leves e que não sejam amargos, como camomila,, folha alfazema, erva-doce, e bem fraquinhos.
O chá de boldo é extremamente proibido nos três primeiros meses de gravidez. Mas depois com pode muita moderação dosagens extremamente baixas. substancias abortivas e afeta desenvolvimento do feto.
Outras plantas proibidas são absinto, abutua, algodoeiro, cipó-mil-homens, arruda, espirradeira, losna e várias ervas amargas.

O potencial tóxico , teratogênico e abortivo de diversas espécies vegetais medicinais;

A conclusão do levantamento bibliográfico em literatura científica sobre algumas espécies medicinais contra- indicadas no período de gestação e lactação,realizado pelo Programa Estadual de Plantas Medicinais/PROPLAM,

A necessidade de esclarecer à população em geral, e aos profissionais de saúde em particular, sobre os riscos do uso indiscriminado de espécies medicinais;

Que gestantes e lactantes, constituem grupo populacional que culturalmente recorre ao uso de plantas medicinais;


RESOLVE:
Art 1°-Contra-indicar o uso interno de drogas vegetais medicinais,em geral, durante o 1o. trimestre de gestação e lactação, cujos estudos toxicológicos não estejam concluídos;

Art. 2º - Contra-indicar, o uso interno, das drogas vegetais medicinais, relacionadas no anexo único desta Resolução, tendo em vista os estudos referenciados.


ANEXO ÚNICO


NOME COMUM = Apamarga
NOME BOTÂNICO: Achyranthes aspera
RESTRIÇÃO PARA USO INTERNO: Gestação
JUSTIFICATIVA: EMENAGOGA / ABORTIVA
REFERÊNCIAS ,
é relatado para ser adstringente, peitoral, pungente, e diurético.
NOME COMUM: Babosa
NOME BOTÂNICO: Aloe spp.
RESTRIÇÃO PARA USO INTERNO: Gestação / Lactação
JUSTIFICATIVA: EMENAGOGA / ABORTIVA / MUTAGÊNICA / OCITÓXICA / CATÁRTICA
REFERÊNCIAS = A babosa, podemos dizer mais perfeitas que encontramos na Natureza. Basta dizer que dos 22 aminoácidos de que nosso organismo precisa, ela responde com 18. Embora não seja propriamente um remédio... mais do que um remédio é um integrador alimentar. Ela fortalece o sistema imunológico enfraquecido.Reforça as defesas naturais do organismo, que, ao longo dos anos, podem ir cedendo por fatores físicos (má alimentação, cigarros, bebidas) ou psíquicos (frustrações, fracassos), e cedendo às resistências, abre-se o caminho à instalação de doenças. Então a babosa começa fazendo uma imensa varredura no organismo, limpando o sangue. E com o sangue limpo, tudo começa a funcionar bem. A maior sensação da babosa é a sua capacidade de curar o câncer. Muitos tipos de câncer: cérebro, pulmão, fígado, intestino, garganta, mama, útero, ovário, próstata, rins, pele, leucemia... Além do câncer, cura outras doenças também, como alergias, aftas, asma, anemia, cólicas, cãibras, artrose, queimaduras, insolação, doenças de pele, gangrena, diabetes, hemorróidas, furúnculos, feridas venéreas, infecção na bexiga e rins, reumatismo, insônia, icterícia, lepra, dor de ouvido, cabeça, fígado e estômago, picada de insetos, próstata, úlceras gástricas, varizes, verrugas e vermes. Como vê é uma farmácia completa.
AIDS não cura, mas freia, trava o processo do vírus, de tal forma que depois de três ou quatro doses recupera o seu organismo, sobretudo o fígado.


NOME COMUM: Angélica européia
NOME BOTÂNICO: Angelica archangelica
RESTRIÇÃO PARA USO INTERNO: Gestação
JUSTIFICATIVA: EMENAGOGA / ESTIMULANTE DO ÚTERO
REFERÊNCIAS=


Partes Utilizadas
Rizomas


Farmacologia e Atividade Biológica
Algumas cumarinas são vasodilatadoras e anti-espamódicas, outras, como o ostole, estimulam o sistema nervoso central. Normaliza o ciclo menstrual, regularizando as contrações uterinas. Fortalece a função hepálica. Ação imunomoduladora devido aos polissacárideos e as polinas solúveis.


Usos Médicos
Como emenagogo, diminuindo as dores menstruais; nas perturbações da menopausa. Para melhorar a irrigação sanguínea. Como hepatoprotetor e adaptogênico


Principais Indicações
Dismenorreia; perturbações funcionais da peri-menopausa


NOME COMUM: Angélica chinesa
NOME BOTÂNICO : Angelica sinensis
RESTRIÇÃO PARA USO INTERNO: Gestação
JUSTIFICATIVA: ESTIMULANTE DO ÚTERO / EMENAGOGA
REFERÊNCIA=

Partes Utilizadas
Rizomas
Farmacologia e Atividade Biológica
Algumas cumarinas são vasodilatadoras e anti-espamódicas, outras, como o ostole, estimulam o sistema nervoso central. Normaliza o ciclo menstrual, regularizando as contrações uterinas. Fortalece a função hepálica. Ação imunomoduladora devido aos polissacárideos e as polinas solúveis.
Usos Médicos
Como emenagogo, diminuindo as dores menstruais; nas perturbações da menopausa. Para melhorar a irrigação sanguínea. Como hepatoprotetor e adaptogênico
Principais Indicações
Dismenorréia; perturbações funcionais da peri-menopausa

NOME COMUM: Arnica
NOME BOTÂNICO: Arnica montana
RESTRIÇÃO PARA USO INTERNO: Gestação
JUSTIFICATIVA: ESTIMULANTE DO ÚTERO / ALTA TOXICIDADE
REFERÊNCIAS=

A arnica não deve ser ingerido oralmente, pode causar distúrbios cardíacos e até a morte.
A arnica possui propriedades medicinais. Muitos e variados são seus usos, entre os principais podemos citar: cicatrização de ferimentos superficiais, combate de hemorragias leves, além de contribuir como anti-inflamatório e anti-pirético natural.
Várias espécies, como Arnica montana e Arnica chamissonis contém helenalina, uma lactona que é um ingrediente essencial em preparados antiinflamatórios provenientes de contusões.

NOME COMUM: Bardana
NOME BOTÂNICO: Arctium lappa
RESTRIÇÃO PARA USO INTERNO: Gestação
JUSTIFICATIVA: ESTIMULANTE DO ÚTERO / OCITÓCICA
REFERÊNCIAS=
A bardana é uma planta originária da Eurasia e ou seja entre EUROPA e ASIA difundida na América. Prolifera em baldios, bermas de caminhos, e próxima de zonas habitadas.
A fama da bardana vem de muito tempo: os gregos a utilizavam como medicamento, e na Idade Média era incluída em várias formulações destinadas à cura.
Valorizada como medicinal desde a Antigüidade, a bardana nunca teve essa fama contestada. Todas as partes da planta eram usadas de alguma forma como medicamento: as folhas, por exemplo, eram bem amassadas e aplicadas em cataplasmas para tratar inúmeras doenças de pele, em razão de sua ação bactericida. O uso atualmente tem respaldo científico: estudos comprovam as suas propriedades antissépticas. Também foram bem difundidos seus poderes contra picadas de insetos e aranhas por sua propriedade de acalmar a dor (ação anestésica) e evitar a tumefação do local (ação anti-inflamatória).
No Brasil, especialmente no Sudeste e no Sul, devido à influência dos imigrantes japoneses, a bardana é utilizada também na culinária, podendo ser encontrada em algumas feiras livres, embora ainda não tenha sido muito difundida. No Japão é mais utilizada que a própria cenoura na culinária do dia-a-dia. Podemos preparar tempurás, sopas, refogá-la apenas em óleo de soja, cozinhá-la junto com arroz, colocá-la em refogados de carne, etc.

NOME COMUM:
NOME BOTÂNICO: Areca cathechu
RESTRIÇÃO PARA USO INTERNO: Gestação
JUSTIFICATIVA: TERATOGÊNICA / FETOTOXINA
REFERÊNCIAS


Conhecida populamente como palmeira de betel, é uma espécie de palmeira encontrada em alguns países de clima tropical da Oceania e alguns países do leste da África. Sua noz é bastante conhecida para uso medicinal.
Estimulante sexual e estimulante para o corpo e outras substancias.


Os princípios ativos mais importantes da noz de bétel são a arecaina e a arecolina, alcalóides que são comparáveis à nicotina nos seus efeitos mentais como estimulante, brandamente intoxicante e inibidor de apetite. Ela também contem os alcalóides arecaidina, arecolidina, guracina (guacina), guvacolina e vários outros que ainda não foram estudados extensivamente.
Além do efeito estimulante do sistema nervoso central causando um relaxamento alegre ou sensação de euforia e uma agradável sensação na boca, alguns afirmam que possui qualidades afrodisíacas.
Certas pessoas chegam mesmo a afirmar que o seu consumo melhora as capacidades de aprendizagem e de raciocínio, facilita a respiração, melhora a disposição e reduz a pressão cardíaca.. Pode ainda ter usos medicinais, tal como a redução das cáries, a remoção de tênias e outros parasitas intestinais mediante a ingestão de umas poucas colheres de noz de bétel em pó, da própria noz ou tabletes contendo o extracto dos alcalóides.
No entanto, mastigar regularmente a noz de bétele é extremamente prejudicial para os dentes.
A noz de bétele tinge a saliva da pessoa dum vermelho vivo e enegrece os dentes, provocando danos muitas vezes irreversíveis.
Muitos mascadores habituais de bétel perdem os dentes já na idade de vinte e cinco anos. Além disso, a Agência Internacional para a Pesquisa do Cancro (IARC - International Agency of Research on Cancer) classifica a noz de bétel como um cancerígeno conhecido.
Dosagens altas podem causar diarreia e tonturas. Doses muito altas podem ser mortais. O uso a longo termo pode causar habituação.
Em pesquisas efectuadas entre consumidores que tanto usaram o tabaco como a noz de bétel disseram que, entre os dois, acharam mais difícil vencer o hábito de mascar a noz. Durante o domínio japonês sobre a Formosa (Taiwan), fez-se uma tentativa inútil de eliminar este costume.
Hoje, naquela ilha, as lojas que vendem noz de bétele têm tipicamente uma grande vitrine atrás da qual uma jovem mulher atraente, que geralmente não usa muita roupa, embrulha nozes de bétel.

NOME COMUM: Alho
NOME BOTÂNICO: Allium sativum
RESTRIÇÃO PARA USO INTERNO: Lactação
JUSTIFICATIVA: CÓLICAS NO LACTENTE
REFERÊNCIAS=

chegaram a designar a planta como "rosa fétida", devido ao seu odor forte e picante proporcionado pela essência de alho ou dialil sulfito (C3H5)2S. Quando consumido em quantidades elevadas
O alho é utilizado desde a antiguidade como remédio, sendo usado no Antigo Egito na composição de vários medicamentos. Suas propriedades antimicrobianas e os seus efeitos benéficos para o coração e circulação sanguínea já eram valorizados na Idade Média. Possui um ótimo valor nutricional, possuindo vitaminas (A, B2, B6, C), aminoácidos, adenosina, sais minerais (ferro, silício, iodo) e enzimas e compostos biologicamente ativos, como a alicina. O alho costuma ser indicado como auxiliar no tratamento de hipertensão arterial leve, redução dos níveis de colesterol e prevenção das doenças ateroscleróticas. Também se atribui ao alho a capacidade de prevenir resfriados e outras doenças infecciosas, e de tratar infecções bacterianas e fúngicas.


NOME COMUM: Artemisia
NOME BOTÂNICO: Artemisia vulgaris
RESTRIÇÃO PARA USO INTERNO: Gestação
JUSTIFICATIVA: EMENAGOGA /ABORTIVA
REFERÊNCIAS=

A artemísia é muito utilizada como moxa na terapia chamada moxabustão, difundida através da medicina tradicional chinesa e japonesa. A moxa, ou mogussá, é um extrato envelhecido, batido e seco das folhas dessa erva. Depois é utilizado tanto diretamente quanto indiretamente na pele em regiões com dores ou pontos de acupuntura. O princípio do tratamento é através do calor, mas ainda não são descartadas as propriedades curativas já conhecidas da planta.


NOME COMUM: Losna
NOME BOTÂNICO: Artemisia absinthium
RESTRIÇÃO PARA USO INTERNO: Gestação / Lactação
JUSTIFICATIVA: EMENAGOGA /EUROTÓXICA / OCITÓCICA.
REFERÊNCIAS=
Na Grécia Antiga, esta planta era dedicada à deusa Artemis (Diana, entre os romanos, deusa da caça e da castidade). Daí a origem de seu nome científico.[1]
É uma erva originária da Europa e da Ásia, de folhas recortadas de cor cinzenta, de sabor amargo e que se utiliza como planta medicinal e na fabricação da bebida conhecida como absinto.
O absinto contém pequenas quantidades de tujona, que se pensou outrora ser relacionado com o THC (tetraidrocanabinol), mas sabe-se agora que é um antagonista dos receptores GABA-A. O consumo excessivo de tujona pode causar espasmos e convulsões.


NOME COMUM: Uva-ursi
NOME BOTÂNICO: Arctostaphylos uva-ursi
RESTRIÇÃO PARA USO INTERNO: Gestação / Lactação
JUSTIFICATIVA: OCITÓCICA / CITOTÓXICA / AÇÃO EMÉTICA
REFERÊNCIAS
Descrição
É uma espécie de uva (baga) que os ursos costumam comer. Tem um gosto característico amargo. Encontrada na europa central e asia e difundidida pelo brasil por emigrantes.
É utilizada para combater inflamações nas vias urinárias.



Lembro que provocar aborto com chá traz drásticas consequências para o feto e a gestante, e que o aborto é a segunda causa de morte de mulheres jovens. Portanto, não custa O CASAL ter muito cuidado para não gerar um ser humano que, de tão rejeitado, será jogado fora como um estorvo e, o pior, sem ter culpa de nada. Existem vários métodos anticoncepcionais, principalmente o preservativo, que não deve ser visto como um empecilho, mas como uma barreira contra gravidez indesejável e, principalmente, contra doenças sexualmente transmissíveis.
Autor da tese.

José Carlos de Lacerda
tec. em paisagismo e meio ambiente
José Carlos de Lacerda M.E CNPJ 11.639.802/0001-62
JCL PAISAGISMO LTDA M.E CNPJ 12.304.884/0001-57

Nenhum comentário:

Postar um comentário